Diretores apostaram na qualidade do serviço que entregam e investiram na capacitação de funcionários

A crise econômica do Brasil apertou com tanta força que esmagou cerca de 191 mil empresas que deram baixa de seus registros nas Juntas Comerciais estaduais em 2015. O número representa 82,3% das 232 mil firmas abertas no período, de acordo com a Secretaria da Micro e Pequena Empresa da Presidência da República (SMPE).

Um dos setores mais atingidos foi o de publicidade, uma vez que o setor de comunicação e os investimentos em propaganda, normalmente, são os primeiros a sofrerem cortes na hora de conter despesas. Não foi diferente com a agência TNCOM, de Belo Horizonte, que viu seu faturamento cair 80% em 2015.

De acordo com o Diretor Executivo da empresa, Marcelo Volker, com o cenário se complicando, a agência começou a trabalhar pensando mais no cliente. “Revimos nosso processo e passamos a entregar ao cliente o melhor custo benefício para ambas as partes. Além disso, apostamos na qualidade do nosso serviço e investimos em eficiência operacional“, conta Volker.

O diferencial do trabalho da empresa veio da experiência de seus gestores em outras agências de grande porte no Brasil. Conhecimento este que, segundo Volker, foi incorporado ao atendimento das médias empresas que compunham a cartela da TNCOM.

De acordo com o Gerente de Atendimento da agência, Marcos de Alencar, o esforço de todos os colaboradores fez com que a empresa conseguisse um crescimento expressivo em 2016. “Nos últimos meses, pudemos perceber um crescimento de 500% no nosso faturamento, comparado com a queda que tivemos no ano anterior“, aponta Alencar.

Para o Diretor de Estratégia Digital da empresa, Vinícius Loureiro, a chave para manter o rumo e o bom fluxo na agência é capacitar o próprio pessoal. “Nós investimos pesado no ambiente de trabalho, na satisfação dos colaboradores e, principalmente, em sua capacitação profissional. Isso sem deixar de lado o esforço contínuo para deixar nossas operações mais eficientes“, explica Loureiro.